Isabel Ferreira – soldadora de profissão

  • Março 7, 2019

“não tive problema algum em integrar-me num ambiente masculino, aliás nós fardados somos todos iguais”

Aproveitamos o dia da Mulher para entrevistar uma soldadora. Isabel Ferreira é uma soldadora profissional numa metalomecânica de Viana do Castelo que afirma ter o privilégio de fazer o que gosta.

Electrex: O que a motivou a tirar o curso de Técnica de Soldadura?
Isabel Ferreira: O meu pai, a profissão dele era soldador, e daí o meu interesse desde pequenina por esta área.

Electrex: Uma pergunta à qual não podemos fugir: foi difícil para si enquanto mulher ingressar num mundo maioritariamente masculino?
Isabel Ferreira:Enquanto fiz o curso não, para mim o meu maior obstáculo foi quando procurei estágio em que as empresas me fecharam portas por não estarem preparadas para receber mulheres, falo a nível de condições, não há balneários femininos. Quando consegui estágio posso dizer que fui muito bem recebida e não tive problema algum em integrar-me num ambiente masculino, aliás nós fardados somos todos iguais.

Electrex: Qual a reação das pessoas quando lhe perguntam a profissão e a Isabel diz que é soldadora?
Isabel Ferreira: A maior parte das pessoas fica admirada, outras questionam-me se não tenho medo de partir as “unhas” (risos). Outras como sabem que o meu pai era soldador dizem que ele deve ter orgulho por lhe ter seguido as pisadas. É normal as pessoas terem estas reações, em Portugal as mentalidades ainda estão muito fechadas.

Electrex: Que conselhos daria a jovens mulheres que querem ser soldadoras?
Isabel Ferreira: Acho que as mulheres se realmente querem seguir esta área devem arriscar, independentemente do que outras pessoas possam pensar ou dizer. A melhor coisa que me aconteceu foi conseguir trabalhar nesta área onde me sinto realizada. Muitas pessoas levantam-se de manhã e parece que vão contrariadas trabalhar, eu vou contente porque juntei o útil ao agradável.

Pesquisa

Partilha

Entrevista a Luísa Coutinho

  • Março 7, 2018

“As áreas tecnológicas, onde a procura de técnicos qualificados é superior à oferta, apresentam também para as mulheres perspectivas de carreiras profissionais interessantes e bem pagas.”

No dia da Mulher, entrevistamos Luísa Coutinho. Pelo seu percurso profissional percebemos que é possível para uma mulher singrar no mundo da Soldadura, senão vejamos: Luísa Coutinho é Diretora Executiva da Federação Europeia de Soldadura – European Federation for Welding, Joining and Cutting (EWF), consultora do ISQ (Instituto de Soldadura e Qualidade) para além de ser doutorada em Soldadura e professora e investigadora no departamento de Engenharia Mecânica do IST (Instituto Superior Técnico).

 Electrex: Com tantos campos de estudo na engenharia mecânica, o que a motivou a seguir o ramo da soldadura e a fazer doutoramento nesta área?
Luísa Coutinho: Um bom professor! No Instituto Superior Técnico tive o Eng. Dias Alves, da Sorefame, como professor de tecnologia mecânica. Foi um óptimo professor que, ligava a teoria à pratica e me despertou o interesse pela tecnologia da soldadura. Mais tarde, o ISQ pôs-me em contacto com o Prof Apps da Cranfield University, onde fui fazer o doutoramento com uma bolsa da Fundação Gulbenkian.

Electrex: Uma pergunta à qual não podemos fugir: foi difícil para si enquanto mulher ingressar num mundo maioritariamente masculino?
Luísa Coutinho: É sabido que em Portugal as mulheres têm mais dificuldade em terem as suas capacidades reconhecidas e a serem promovidas nas suas carreiras profissionais do que os homens. O meu caso não foi diferente. Com trabalho, dedicação e persistência o reconhecimento acabou por chegar, primeiro a nível internacional e só mais tarde em Portugal.

Electrex: Em Abril do ano passado, disse que a Europa está em risco de implosão. Ainda mantêm esta preocupação? Que caminhos deve a Europa seguir?
Luísa Coutinho: A Europa continua a viver momentos difíceis, com um mosaico de resultados eleitorais em vários países que criam situações de instabilidade política, social e económica.  O crescimento económico tem, no entanto, trazido muitos aspectos positivos. Continuo a acreditar numa Europa unida e forte.

Electrex: Que conselhos daria a jovens mulheres que querem seguir o ramo da soldadura seja como área de estudo académico seja como soldadoras propriamente ditas?
Luísa Coutinho: A soldadura e de um modo mais geral as tecnologias de fabrico, não são áreas apelativas para as mulheres. Estou agora no Brasil e hoje visitei o Senai – Centro Tecnológico de Solda, uma escola de formação profissional de referência no Brasil. Um dos aspectos referidos na reunião com a Direção foi a necessidade de dar a conhecer as opções profissionais da soldadura às estudantes do ensino secundário. Abordamos diversas iniciativas nesse sentido implementadas por Institutos de soldadura da Europa.
As áreas tecnológicas, onde a procura de técnicos qualificados é superior à oferta, apresentam também para as mulheres perspectivas de carreiras profissionais interessantes e bem pagas.

 

 

Definições de Cookies

A Electrex pode utilizar cookies para memorizar os seus dados de início de sessão, recolher estatísticas para otimizar a funcionalidade do site e para realizar ações de marketing com base nos seus interesses.

Estes cookies são necessários para permitir a funcionalidade principal do site e são ativados automaticamente quando utiliza este site.
Estes cookies são necessários para permitir a funcionalidade principal do site e são ativados automaticamente quando utiliza este site.
Estes cookies são necessários para permitir a funcionalidade principal do site e são ativados automaticamente quando utiliza este site.

Cookies Necessários Permitem personalizar as ofertas comerciais que lhe são apresentadas, direcionando-as para os seus interesses. Podem ser cookies próprios ou de terceiros. Alertamos que, mesmo não aceitando estes cookies, irá receber ofertas comerciais, mas sem corresponderem às suas preferências.

Cookies Funcionais Oferecem uma experiência mais personalizada e completa, permitem guardar preferências, mostrar-lhe conteúdos relevantes para o seu gosto e enviar-lhe os alertas que tenha solicitado.

Cookies Publicitários Permitem-lhe estar em contacto com a sua rede social, partilhar conteúdos, enviar e divulgar comentários.